12
Set 10

O primeiro-ministro, José Sócrates, que no primeiro mandato foi uma figura cuja ausência foi frequentemente criticada na Madeira, está a tornar-se num visitante assíduo da ilha e efectua, amanhã, segunda-feira, a quarta deslocação oficial a este território.

A presença de José Sócrates na Madeira deve-se à escolha da Universidade da Madeira para a sessão solene de abertura de mais um ano académico, cerimónia que conta também com o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Mariano Gago.

José Sócrates no primeiro mandato quase excluiu a Madeira da sua agenda de deslocações e só no último ano ali esteve, a 25 de Maio de 2009, para reunir com empresários e entregar os primeiros computadores Magalhães.

Nesse ano regressou, na qualidade de secretário-geral do PS, para participar na festa anual do partido na Fonte do Bispo.

Foi o temporal de 20 de Fevereiro, que provocou 43 mortos, seis desaparecidos, 600 desalojados e prejuízos materiais avaliados em 1080 milhões de euros que "ressuscitou" o espírito de solidariedade do continente português para com a Madeira e marcou o restabelecimento do relacionamento institucional entre os Governos central e regional.

Essa tragédia marcou a "viragem" nas relações entre Sócrates e Alberto João Jardim, um novo clima que começou com a visita que o primeiro ministro fez à região no final desse dia para avaliar a dimensão dos estragos e prometendo solidariedade.

Nessa altura viviam-se momentos de desespero perante a dimensão da tragédia que se abatia sobre a ilha.

Jardim correspondeu, garantiu o "reconhecimento" do Governo da Madeira e "convidou" o chefe do executivo da República para a Festa da Flor, a 18 Abril, altura em que com o trabalho e a determinação dos madeirenses a ilha se apresentaria "num brinquinho".

Sócrates aceitou o convite e voltou a aterrar na Madeira a 18 de Abril, assistindo ao lado de Jardim ao desfile daquela festa.

No dia seguinte anunciou o valor dos prejuízos (1080 milhões de euros) e a forma como o Estado iria ajudar na reconstrução, solidariedade que ficou estabelecida na lei de Meios aprovada em maio.

Nessa altura declarou que "a obra de reconstrução da Madeira é o símbolo do que une o país".

A 30 de Maio Sócrates fez mais uma passagem pelo aeroporto da Madeira no regresso da viagem que efectuou à Venezuela, tendo reunido com o presidente do Governo Regional para analisar assuntos pendentes.

Segunda-feira, Sócrates efectua a sua quarta viagem à Região Autónoma da Madeira em menos de sete meses.

Fonte: JN

publicado por Alberto Pita às 12:52

pesquisar neste blog
 
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15
16
18

19
20
22
23
24
25

27
28
29
30


mais sobre mim
subscrever feeds