14
Dez 08

A hotelaria da Madeira evidenciou-se uma vez mais em Outubro ao ser a única região a escapar à tendência de quebra dos proveitos, em que se distinguiram Açores e Lisboa com descidas de dois dígitos.
Os dados do INE divulgados sexta-feira indicam que num quadro de queda média dos proveitos totais da hotelaria em 5,8%, na Madeira verificou-se um aumento em 4,3%, que equivale a mais cerca de um milhão de euros, para 25,311 milhões.
Essa subida ocorre com crescimentos tanto dos proveitos de aposento, em 4,4% para 15,7 milhões, como dos outros proveitos, em 4,3%, para 9,598 milhões.
A primeira razão para esta subida das receitas na hotelaria da Madeira é que apesar de uma queda do número de hóspedes em 4,1%, para 93 mil, verificou-se um aumento do número de dormidas em 3,8%, para 517 mil, por uma subida da estada média em 8,3%, para 5,56 noites.
Além da subida do número de dormidas, o crescimento das receitas na Madeira ocorre ainda por aumentos dos proveitos por hóspede, em 8,8% ou 22,1 euros, para 272,16 euros, e por dormida, em 0,6% ou 0,29 euros, para 48,95 euros.
Este crescimento dá-se por um aumento das receitas de aposento por cliente, em 8,8% ou 13,77 euros, para 168,96 euros, e por dormida, em 0,6% ou 0,19 euros, para 30,39 euros, como dos outros proveitos, em 8,8% ou 8,33 euros, para 103,2 euros por cliente, e em 0,5% ou 0,1 euros, para 18,56 euros por dormida.
A subida do número de dormidas na Madeira não impediu no entanto uma queda da taxa líquida de ocupação por cama em Outubro, em 0,4 pontos, para 58,9%, evidenciando um aumento da oferta de camas acima do crescimento da procura.
O INE indica que a RevPAR da hotelaria da Madeira foi de 36,6 euros em Outubro, mas sem especificar se subiu ou desceu em relação a 2007.
Para os dez meses de Janeiro a Outubro, a hotelaria da Madeira é a que apresenta o maior crescimento dos proveitos totais, com +8,6% ou mais 20,7 milhões, para 261,59 milhões, com um aumento em 9,9% dos proveitos de aposento, para 162,9 milhões, e um crescimento dos outros proveitos em 6,5%, para 98,6 milhões.
Neste período a hotelaria da Madeira soma 1,033 milhões de hóspedes, em alta de 5,9% face ao período homólogo de 2007, e um crescimento das dormidas em 5,7%, para 5,49 milhões.
A estada média está em 5,32 noites, menos 0,2% que no ano passado, mas ainda assim a taxa de ocupação terá uma subida de 3,1 pontos, para 65,3% (estimada pelo PressTUR a partir dos dados divulgados mensalmente pelo INE).
Além da subida do número de clientes, o comportamento das receitas nos dez meses reflecte um aumento em 2,5% dos proveitos por hóspede recebido, para 253,23 euros, por aumentos em 3,8% dos proveitos de aposento, para 157,74 euros, e em 0,5% dos outros proveitos, para 95,5 euros.
O mesmo se verifica nos rácios por dormida, em que a Madeira tem um aumento em 2,7% dos proveitos totais por pernoita, para 47,64 euros, com aumentos em 4% nos proveitos de aposento, para 29,68 euros, e em 0,7% dos outros proveitos, para 17,97 euros.
Fonte: Texto da autoria integral do site PressTur

publicado por Alberto Pita às 14:46

pesquisar neste blog
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

16
20

21
23
24

28
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

9 seguidores