16
Abr 09

O presidente do PSD-Madeira, Alberto João Jardim, garantiu quarta-feira à noite que o Jornal da Madeira continuará a ser publicado não obstante a lei "nazificante" aprovada na Assembleia da República.

"É uma lei nazificante, de iniciativa fascista e que pretende calar a imprensa de vários quadrantes políticos e não apenas o Jornal da Madeira", referiu à chegada ao Aeroporto Internacional da Madeira.

Para João Jardim, "é uma lei que é um braço de ferro do ministro nazificante com a liberdade de imprensa em Portugal".

"Isto ainda vai dar muita luta mas há uma coisa que vos garanto. O Jornal da Madeira vai sair nem que a gente vá todos presos", disse.

"A autonomia chegou a um momento que precisa de mártires para dar os saltos seguintes e, eu, aos 66 anos já não me divirto muito cá fora, já posso ser preso político, já posso fazer o papel de mártir", ironizou.

O PS aprovou quarta-feira sozinho as alterações à lei do pluralismo e da não concentração dos meios de comunicação social, com acusações da oposição de ataque à liberdade de imprensa e cedência aos grupos económicos.

O diploma regressou quarta-feira ao Parlamento com algumas alterações introduzidas, depois do veto, a 03 de Março, do Presidente da República, que considerou que não existia urgência em legislar sobre esta matéria.

Fonte: Expresso

publicado por Alberto Pita às 12:58

pesquisar neste blog
 
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

15

19
20

27
28
30


mais sobre mim