22
Ago 07

As ilhas Selvagens são o território português mais a sul.

Ficam mais perto de Canárias do que da Madeira. Entre a Madeira e este subarquipélago, composto por três ilhas, a viagem de barco pode facilmente durar 13 horas.

Há cerca de um mês tive a possibilidade de as visitar. Por serem reserva, é necessário uma autorização prévia.

Mas vale a pena.

As ilhas são ricas em endemismos. Só uma delas, bem pequena, tem nove endemismos exclusivos daquele território, ou seja, nem as outras ilhas Selvagens têm essas plantas. Não há em nenhuma outra parte do mundo. E é nosso.

Pela importância que elas têm, segue-se um conjunto de fotografias que tirei quando lá estive para que conheçam um pouco deste pequeno território tão fascinante.

 

Chegada às ilhas Selvagens, aproximação à Selvagem Pequena

Selvagem Pequena - ao fundo, está a minúscula ilha com nove endemismos

exclusivos daquele território

Selvagem Pequena

Selvagem Grande

A Marinha Portuguesa visita periodicamente as ilhas, mantendo

bom relacionamento com os vigilantes do Parque Natural

Selvagem Grande - zona de chegada e partida dos botes que trazem

os vigilantes, a casa destes homens fica no cimo da rampa

Casa dos vigilantes do parque natural, esta é maior que a existente

na Selvagem Pequena

 

publicado por Alberto Pita às 22:47
sinto-me:

2 comentários:
Há gente com sorte e tu és um deles Alberto! e é fácil adquirir essa autorização?
pelas fotos isso é lindo!
um abraço do Pepe
Pepe a 23 de Agosto de 2007 às 18:41

Olá pepe ,
Bem, fácil, fácil não é.
Eu fui no âmbito de um trabalho, por isso tive a autorização do Parque Natural e o apoio da Marinha Portuguesa.
Em outros casos é muito difícil ir se não tivermos um barco suficientemente resistente para aguentar a forte ondulação nas longas milhas que se tem pela frente.
Sendo uma reserva especial da Madeira, é sempre necessário que o Parque Natural dê a autorização necessária. Caso contrário, os vigilantes não permitem a entrada nas ilhas (que o digam os espanhóis).
Há este cuidado todo com as ilhas, porque, na verdade, estamos a falar de uma riqueza em termos de biodiversidade incrível.
Ao que sei, tudo naquelas ilhas são de uma raridade quase extrema.
Quando se passeia pela ilha, o que mais ouvimos é: «Andem pelos trilhos, não pisem nada fora deles porque podem estar a matar espécies raras». Em tudo o que é sítio é assim.
Por exemplo, na Selvagem Grande há uma colónia de 50 mil cagarras . Durante uma parte do ano, aquela é a casa destas aves. As cagarras fazem ninhos em tudo quanto é sítio e se não estivermos realmente atentos facilmente enfiamos o pé num dos seus ninhos.
O meu conhecimento sobre o assunto é muito limitado, por isso não posso avaliar realmente a importância daquele subarquipélago , mas os biólogos com quem falei atestaram-me a importância que tudo aquilo tem.
Bem, mas não é preciso ser biólogo para perceber o quão frescas (limpas) são aquelas águas. É impressionante.
Naquela viagem, o problema mesmo foi ter de suportar 13 horas de viagem para lá e 13 horas para cá, num barco a balançar de um lado para o outro.
De resto foi fantástico.
Alberto Pita a 24 de Agosto de 2007 às 15:21

pesquisar neste blog
 
Agosto 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10



26


mais sobre mim