01
Jan 10

A Região Autónoma da Madeira registou este ano 235 casos de interrupção voluntária da gravidez, um aumento de 35 por cento relativamente a 2008, segundo fonte oficial.

O presidente do Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais (IASAUDE), Maurício Melim, disse à agência Lusa que o aumento registado fica a dever-se a diversas causas, destacando, no entanto, o maior conhecimento do processo como "a causa maior".

"Este é o segundo ano do processo da interrupção voluntária da gravidez [na Madeira], e como tal está mais conhecido das mulheres, podendo ser ainda apresentada a razão de que o sistema funciona todo ele, também melhor", afirmou.

publicado por Alberto Pita às 14:01

pesquisar neste blog
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
14
15

17
18
19
20
22

24
26
27
30

31


mais sobre mim