04
Jun 10

A easyJet, maior companhia de aviação do Reino Unido e 2ª companhia de aviação em Portugal, revela hoje uma tecnologia revolucionária que irá minimizar futuras perturbações decorrentes de actividade vulcânica. 
A easyJet será a primeira companhia de aviação do mundo a experimentar uma nova tecnologia chamada AVOID (Airborne Volcanic Object Identifier and Detector). O sistema, essencialmente um radar meteorológico para nuvens de cinza, foi criado pelo Dr Fred Prata do Norwegian Institute for Air Research (NILU). AVOID é um sistema que envolve a colocação de tecnologia de infra-vermelhos num avião para fornecer imagens a ambos os pilotos e a um centro de controlo de aviação. 
 Estas imagens irão permitir aos pilotos ver uma nuvem de cinza vulcânica até 100km à frente do avião e a altitudes entre 5,000 pés e 50,000 pés. Isto irá permitir aos pilotos fazer ajustes ao plano de voo para evitar qualquer nuvem de cinzas. O conceito é muito semelhante ao dos radares meteorológicos que são habituais nos aviões comerciais de hoje. 
 Em terra, a informação do avião com tecnologia AVOID seria usada para construir uma imagem precisa da nuvem de cinza vulcânica usando dados em tempo real. Isto iria abrir vastas áreas de espaço aéreo que seriam de outra forma encerradas durante uma erupção vulcânica, o que beneficiaria os passageiros através da minimização das perturbações.  
O CEO da easyJet, Andy Harrison, disse: “Esta tecnologia pioneira é a bala de prata que irá fazer a nuvem vulcânica passar à história. O detector de poeira irá permitir aos nossos aviões ver e evitar a nuvem vulcânica, tal como os radares e mapas meteorológicos tornam as tempestades visíveis .” 
Dr Fred Prata, Senior Scientist no Norwegian Institute for Air Research (NILU) e inventor do sistema AVOID acrescentou: “AVOID sustenta a teoria à volta das nuvens de cinza vulcânica com dados reais.
Ao comentar as notícias de hoje Andrew Haines, Chief Executive da Civil Aviation Authority disse “É essencial que a comunidade aeronáutica trabalhe em conjunto para desenvolver soluções que possibilitem minimizar perturbações, caso a nuvem volte. A CAA recebe com agrado que as companhias de aviação estejam a considerar inovações como esta e faremos tudo ao nosso alcance para as ajudar.”
O primeiro teste de voo será executado pela Airbus em nome da easyJet dentro de dois meses, utilizando um Airbus 340 de testes. De acordo com os resultados destes testes, a easyJet pretende testar a tecnologia nos seus próprios aviões com vista a instalá-la num número de aviões suficientes para minimizar futuras perturbações de cinza vulcânica. 
 

publicado por Alberto Pita às 19:23

pesquisar neste blog
 
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

28
29


mais sobre mim