12
Ago 08

O poeta, historiador, pintor e escultor madeirense, António Manuel de Sousa Aragão, de 86 anos, faleceu ontem, no Funchal, vítima de doença.

António Aragão distinguiu-se em várias áreas da cultura nacional e regional, tendo-se licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade Clássica de Lisboa e em Arquivismo e Biblioteconomia pela Universidade de Coimbra.

Estagiou em França e na Itália, em etnografia, museologia e restauro de obras de arte e, como pintor, expôs em Barcelona e Londres, e participou em experiências vanguardistas em Inglaterra, Brasil e Itália.

O historiador Rui Carita recordou-o à Agência Lusa como «um grande amigo e uma das grandes figuras da cultura portuguesa do século XX».

Com «Poema Primeiro», «Folhemas 1,2,3 e 4», «Mais Exactamente P(r)o(bl)emas», «Os Bancos e Metanemas» «foi um dos grandes poetas da década de 60».

António Aragão experimentou também a ficção - «Um Buraco na Boca» - e a dramaturgia - «Desastre Nu» - e deixou também legado na escultura.
 Fonte: Diário Digital

publicado por Alberto Pita às 12:05
tags:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


pesquisar neste blog
 
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


19
20
21
22
23

24
25



mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

9 seguidores

subscrever feeds