17
Set 10

O Conselho de Governo da Madeira decidiu ontem recorrer ao Tribunal Administrativo pedindo a anulação da deliberação que a ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social) tomou relativamente ao Jornal da Madeira (JM), detido em 99% pela região, alertando para o facto de a política seguida pelo Governo Regional, atribuição de publicidade institucional e preço de capa, "pôr em risco objectivo e grave" o pluralismo da imprensa diária na região.

O pedido de anulação baseia-se no facto de a ERC ter tomado resoluções visando, neste caso, o Governo Regional, que "não está sob a alçada das suas atribuições", conforme o artigo 6.º do seu estatuto, que define o âmbito de intervenção. Ou seja, a ERC não deveria instar a entidade Governo Regional a tomar medidas mas a Empresa Jornal da Madeira, titular do órgão, a exemplo do que se passa com a RTP, RDP e Lusa, em que qualquer deliberação da ERC é dirigida à administração dos respectivos órgãos e não o Governo central, apurou o DN.

Alberto João Jardim reiterou, ontem, uma posição antiga ao "não reconhecer", pela enésima vez, "credibilidade e autoridade à ERC" tal como não reconhece à Comissão Nacional de Eleições, considerando "tendencioso" o relatório sobre os apoios ao JM, disse à Lusa. "Estamos bem por cá. Estejam bem por lá. Não nos chateiem", referiu o líder madeirense perante o assunto.

publicado por Alberto Pita às 13:31

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


pesquisar neste blog
 
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
15
16
18

19
20
22
23
24
25

27
28
29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

9 seguidores

subscrever feeds